quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Base em pó, creme, líquido, mousse ou sérum?

<bl/> 

Certo, você decidiu investir em uma boa base para dar aquela incrementada na maquiagem. E agora? São tantas opções disponíveis no mercado que é fácil se perder e gastar dinheiro em um produto que não satisfaz as necessidades da sua pele ou mesmo as particularidades do seu estilo de vida.

Para ajudar nessa busca, os maquiadores Anderson Peres, do Crystal Hair e Ítalo Leite, do Werner Coiffeur (RJ), explicam um pouco como elas funcionam e para quem são mais indicadas:

Cremosa

Mais indicada para peles normais a secas e maduras, pois proporciona mais hidratação. O ideal é usá-la em eventos noturnos e especiais. “Quem deve fugir desse tipo de base são pessoas com pele oleosa, pois há um grande risco de que o produto escorra”, explica o maquiador Ítalo Leite, do Werner Coiffeur. A dica é aplicá-la com pincel úmido para ficar bem espalhada.

<bl/>
  
Compacta

Vai bem em todos os tipos de pele, mas com um porém: “Não indico para mulheres mais velhas, pois ela pode acentuar as linhas de expressão”, alerta Anderson Peres, do Crystal Hair. Por ser mais densa, essa versão cobre bem manchas, espinhas, cicatrizes. Para aplicar, umedeça uma esponja e aplique no rosto e no pescoço, cuidando para não deixar manchas na região aplicada. 

<bl/> 

Líquida

É a mais indicada para peles secas e com rugas, pois a consistência evita que o produto acumule nas linhas de expressão, além de ter alta duração na pele e propiciar um acabamento natural. “Opte pelas bases líquidas com FPS e, para peles maduras, com hidratante”, sugere Anderson. Para aplicação da versão líquida o ideal é usar um pincel de cerdas sintéticas.
 
<bl/> 

Mousse

Pode ser usadas tanto em peles secas quanto nas oleosas, pois normalmente são oil free e com isso dão acabamento aveludado, deixando a pele matificada. Esse tipo de base, no entanto, não esconde imperfeições. “É preciso cuidado para não exagerar na quantidade, caso contrário as linhas de expressão ficam aparentes”orienta Ítalo.
 
<bl/> 
 

Mais indicada para peles oleosas e ideal para ser usada no dia a dia, pois é de fácil aplicação. “É ótima para uniformizar a pele”, diz Ítalo. Quem tem a pele seca deve evitá-la, pois corre o risco de ficar com um efeito craquelado/ressecado no rosto.

<bl/> 

Sérum 

“Por ter um nível de cobertura médio, ela não vai durar a noite toda sem m retoque, mas o produto consegue cobrir pequenas manchas”, afirma Anderson. Também é ideal para peles oleosas, para uso no dia a dia, e serve para todas as idades de pele. A aplicação deve ser feita com um pincel de cerdas sintéticas.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Artista se transforma em diferentes astros usando apenas maquiagem

A maquiagem tem o poder de transformar pessoas e isso não é mais novidade. A italiana Lucia Pittalis, utilizando apenas make conseguer ser diversos personagens famosos da música e do cinema.

Confira abaixo alguns deles.




 
Sylvester Stallone em Rambo.


Sylvester Stallone em Rocky Balboa.

 

Lemmy the Lurch da Banda Motörhead.


Keith Richards da Banda The Rolling Stones.


Jim Morrison da Banda The Doors.


James Newell Osterberg ou Iggy Pop.



Dan Aykroyd e John Belushi, The Blues Brothers.


Walter White da Série Breaking Bad.


Don Vito Andolini Corleone do Filme O Poderoso Chefão.


Kirk Hammett da Banda Metallica que estará no Rock in Rio 2015 no dia 19/09 as 00h.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Exercícios de alongamento para acordar

Alongamentos para acordar! Confira uma série de exercícios para levantar mais disposto.

1. Ainda deitado, espreguice-se. Com pescoço, coluna e pernas alinhados, entrelace os dedos das mãos acima da cabeça e estenda os braços. Com as pernas unidas, force as pontas dos pés para a frente. Fique assim por 30 segundos.

2. Com a cabeça sobre o travesseiro, barriga para cima, flexione as pernas. Planta dos pés para baixo. Com as mãos, puxe um dos joelhos em direção ao peito. Mantenha por 30 segundos. Repita com a outra perna.

3. Deitado com a barriga para baixo, projete o quadril para trás até sentar-se sobre os calcanhares. A barriga fica próxima das coxas e os braços são estendidos acima da cabeça. Fique nessa posição por 30 segundos.

4. Em pé, com as pernas e o tronco alinhados, projete lentamente o tronco para a frente, deixando os braços soltos em direção ao chão. Permaneça assim por 30 segundos e “desenrole” a coluna devagar para a posição original. 

Fonte: UOL

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Cuidados para os pés: hidratação

Mantenha os pés saudáveis e hidratados nos dias frios 

No frio, costumamos deixá-los bem “escondidos”. Mas há alguns cuidados para evitar o ressecamento dos pés.

Seque muito bem os pés antes de vestir meias e calçados. Usar secador de cabelo ajuda a acabar com a umidade na região após o banho.

Se for tomar banho fora de casa use chinelos.

Use talcos. Eles absorvem a umidade e o suor da região.

Faça um rodízio de calçados. Evite usar o mesmo por vários dias.

Hidrate seus pés

Nos dias mais frios, os pés sofrem com o ressecamento da mesma forma que as mãos. Para mantê-los hidratados faça uso de cremes específicos. Cremes que contenham de 10 a 20% de concentração de ureia em sua fórmula são os mais indicados. Também vale a pena fazer uma esfoliação no banho. Isso melhora a absorção do creme.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Saiba até que ponto a luz dos smartphones e tablets pode afetar a sua pele

Entenda como a luz de smartphones, tablets e de ambientes fechados afeta a sua pele
Entenda como a luz de smartphones, tablets e de ambientes fechados afeta a sua pele

Nos dias de hoje, em que as pessoas passam grande parte do tempo em frente ao computador ou manuseando aparelhos como tablets e smartphones, uma dúvida fica no ar: a luz emitida por essas máquinas, por um período prolongado, representa algum risco para a pele?

A resposta é não. Mas essa incerteza, que já se tornou uma crença para muita gente, tem fundamento. "Esses aparelhos irradiam infravermelho --faixa de radiação do espectro eletromagnético que tem uma penetração maior na pele, isto é, até a hipoderme, camada mais profunda", explica a dermatologista Márcia Purceli, da equipe clínica do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, e membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

"Mas as pesquisas mostram que a quantidade de radiação desses aparelhos é pequena, portanto insuficiente para causar danos à cútis. Ainda não há comprovação científica que defina qual o nível do dano celular que esses eletrônicos efetivamente podem provocar", resume a médica.

O físico Carlos Lenz Cesar, professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), explica por quê: "Nos monitores de computador, tablets, smartphones, iluminados com LEDs e OLEDs, não há infravermelho, logo não podem causar problemas cutâneos por causa dessa radiação", esclarece.

Que a luz tem efeito sobre a pele é indiscutível, mas segundo Lenz, o importante é saber quanto. "Só os valores numéricos podem apontar se é algo preocupante ou não. Para se ter uma ideia, os eletrônicos são carregados com bateria e, por isso, só usam iluminação de potência bem baixa --caso contrário, descarregariam a bateria muito rápido. Potência baixa significa quase nenhum efeito danoso na pele", explica o professor.

E as lâmpadas, representam riscos?
 
As lâmpadas dos escritórios, dos bancos e empresas também levantam a dúvida sobre os riscos para a pele. "Como estamos expostos muito tempo às lâmpadas de iluminação dos ambientes seja no trabalho, em casa ou em estabelecimentos comerciais, esse contato quase que permanente, em longo prazo, favorece o escurecimento e o aspecto opaco da pele, assim como uma sensibilidade cutânea maior para quem já tem algum problema como os portadores de lúpus, só para citar um dos casos", destaca o dermatologista Emerson de Andrade Lima, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Sim, o risco existe, mas depende de algumas variáveis como o tipo de luz, se emite radiação infrevermelho ou não, se é quente, se é fria, se aquece e aumenta a temperatura quando em contato com o corpo. "O infravermelho, por exemplo, afeta diretamente a matriz metaloproteinase, enzima que destrói o colágeno, levando ao fotoenvelhecimento precoce", conta Márcia Purceli.

"Não há emissão de infravermelho nas lâmpadas fluorescentes (frias) e nem nos LEDs. As lâmpadas para iluminação que mais emitem infravermelho são as de filamento, incandescentes, quentes, que serão proibidas em breve", diz o físico Carlos Lenz Cesar.

O problema é a sensação térmica
 
O professor da Unicamp diz ainda que um dos artigos que mais reúne informações sobre o efeito do infravermelho na pele humana, o "Effects of Infrared Radiation and Heat on Human Skin Aging in Vivo", mostra que a ação danosa desse tipo de energia é indireta, o que significa que a absorção da luz se transforma em calor e é esse aumento da temperatura que gera os problemas cutâneos.

Em outras palavras: "Se a proximidade com a lâmpada não chegar ao ponto da pessoa sentir a pele queimando, o efeito do infravermelho é desprezível. Só para ilustrar, a potência das lâmpadas no infravermelho é quase 300 vezes menor do que a luz do sol", compara Lenz.

"A luz das lâmpadas que provocam calor estimula os melanócitos (células que produzem o pigmento da pele). Essa é a maior preocupação dos dermatologistas porque a probabilidade de causar manchas é grande. Pacientes em tratamento de melasma, por exemplo, devem evitar se expor a fontes de calor, como o caso de ler perto de uma luminária que aquece", destaca a médica Márcia Purceli.

Uma última conclusão mencionada em algumas pesquisas é que a energia térmica do infravermelho pode causar ainda danos oxidativos ao tecido cutâneo por causa de processos inflamatórios.

Escrito por Isabela Leal UOL-SP. (Esta Matéria Pertence ao UOL)

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Maquiagens de novelas que todo mundo copiou


 
Às vezes, não bastam jargões grudentos, risadas escandalosas ou personalidades marcantes para se fazer um bom personagem de novela. É preciso, ainda, de um visual inesquecível. A equipe de caracterização bota a mão na massa para inflar os cabelos, tacar pó de arroz no rosto dos atores e criar makes que, inevitavelmente, serão copiadas nas ruas. Gótico brasileiro, color blocking no rosto ou visual encardidinho, relembre alguns looks marcantes da teledramaturgia.

Viúva Porcina ("Roque Santeiro") - Podia ser uma fantasia de carnaval, mas era a make da personagem de Regina Duarte, hit em 1985. Sobrancelha marcada, sombra vibrante, blush cujo efeito mais parecia o de uma chinelada na cara e batom vermelho. Não dá para saber se foi color blocking ou resultado de uma briga.
 

Júlia ("Dancin Days") - O local: uma discoteca. A época: os anos 70. A make usada por Sônia Braga nem é assim tão marcante, mas foi bastante copiada entre 1978 e 1979. O cabelo, por sua vez, é um show à parte. Com tanto laquê permanente para segurar esse volume, só não vale a intoxicação...     
 

Reginaldo ("De Corpo e Alma") - Não há nada mais passível de desastre do que novelas tentando retratar tribos urbanas. Por isso, bastou um estoque de pó branco no rosto de Eri Johnson para ele virar o verdadeiro gótico brasileiro. Para ficar mais verídico, faltou a garrafa de vinho químico.
     
 
Natasha ("Vamp") - Enquanto c.e.r.t.a.s apresentadoras fazem pactos com o diabo, a cantora interpretada por Claudia Ohana na novela de 1991 preferiu prometer a sua alma para um vampiro a fim de alcançar o sucesso. A exemplo do gótico brasileiro de Eri Johnson, vampiro global usa batom e olhos escuros e muito, muito pó branco.
 
 
Mina ("O Beijo do Vampiro") - Assim como Ohana em "Vamp", Claudia Raia também ganhou olhos e bocas marcantes. Mas a cereja do bolo fica por conta do detalhe cintilante feito bem no centro da pálpebra, para dar um look meio desenho animado do mal. Isso sem contar na caracterização da personagem em sua aparência envelhecida, que é medonha --mas não como a personagem "assustadora" gostaria.
     

Henutmire ("Os Dez Mandamentos") - Nada pega mais o público do que makes típicas de alguma cultura ou povo. Mel Lisboa aparece de delineador bem marcante e sombra combinando com o vestido no papel da mãe adotiva de Moisés na novela da Record. Será que o penteado também vai virar referência?  
 

Jade ("O Clone") - Mas quem plantou a sementinha do delineador marcado nos corações brasileiros foi a muçulmana sofredora vivida por Giovanna Antonelli. Todo mundo começou a imitar o traço dos olhos da personagem nos anos 2000, mas os resultados, em sua maioria, foram desastrosos. Quem dera se pudéssemos jogar um véu na cara que nem a Jade fazia, né?     
 
 
Maya ("Caminho das Índias") - Seguindo o exemplo de Jade, a indiana também sofredora de Juliana Paes disseminou o lápis kajal. O cosmético, cujo traço é muito mais marcante do que o do lápis comum, estava disponível em pouquíssimas marcas ou tinha que ser importado da Índia. Mas, depois de Maya, teve kajal em qualquer barraquinha de comércio popular. Aí foi olhão esfumado ou, melhor, estilo panda para todo lado.
 
 
Maria do Bairro ("Maria do Bairro") - Para interpretar uma catadora de lixo, Thalia lançou mão de um velho truque de maquiagem: sujeira no rosto. Ainda que fosse fácil, nem todo mundo copiou o look encardidinho por motivos óbvios.   
 
Paola Bracho ("A Usurpadora") - Combinar o batom com a cor da roupa foi uma especialidade da vilã mexicana. A franja bem ralinha e o leve delineador brindam o look total anos 90. A personagem usava o batom marsala muito antes da Pantone dizer que este é o tom do momento.
 
Paulina ("A Usurpadora") - Está nas regras da teledramaturgia que vilãs usam cores fortes, mocinhas usam cores pastéis. Paulina, então, nos brindava com o batom rosinha, às vezes meio neon, às vezes meio insosso. E adivinha só: também combinando com o vestido ou terninho. Saudade, anos 90 (ou não!).          
 

terça-feira, 7 de julho de 2015

Penteado de Festa com Jóias de Cabelo

Boa opção para deixar o look festa mais sofisticado, as joias de cabelo já viraram queridinhas de famosas como Keira Knightley e Emma Watson e marcam presença nos red carpets.

Quem pensa em incrementar o visual com o adereço e não quer desembolsar uma fortuna, pode alugar ou mesmo encontrar versões mais em conta, que imitam joias.

E quando for usar, lembre-se: quanto menos informação na roupa, melhor, já que o acessório já chama atenção suficiente.

TIARA COM COQUE

PRESILHA NO PENTEADO LATERAL

TIARA NO TOPO DA CABEÇA


CORRENTE NO PENTEADO DIVA

 

GRAMPOS APARENTES

MAXIACESSÓRIO COM COQUE MESSY


BROCHE ATRÁS DA ORELHA


TIARA DE BRILHANTE COM MESSY CURTINHO

Fonte: UOL

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Máscaras de cílios coloridas: aprenda a usar e a combinar esta tendência!

Este make deixa o visual mais criativo e descolado. Maquiador ensina truques para você abusar de tons de azul, roxo, vinho e marrom

Uma nova tendência que fez sucesso nos desfiles de moda e agora vem ganhando as ruas é a das máscaras de cílios coloridas.

Tons como azul, roxo, vinho, marrom e verde têm conquistado novas fãs que querem deixar o make mais descolado e irreverente. O maquiador Pablo Weber, do Vimax Art Hair, afirma que é preciso cuidado na hora de fazer uma maquiagem com um rímel que não seja preto: “você não pode misturar uma máscara com uma sombra colorida se não fica parecendo fantasia. Além disso, precisa ter cuidado para o look não ficar colorido demais e aparentar muito infantil”.

Contudo, com cuidado, dá para fazer uma produção bem interessante. O especialista ensina um truque: “faça o contorno dos olhos com lápis preto e passe um pouco de delineador preto em cima do olho, aí coloque a máscara azul ou roxa, que vai ficar incrível. As pontinhas pintadinhas ficam lindas e diferentes”.

Caso você deseje acentuar o tom, passe uma máscara branca antes da colorida. A cor ficará bem mais forte.

Máscaras com tons puxados para o vinho, como o bordô, são melhores para quem quiser um make não tão chamativo: “vinho e berinjela misturados com roxo criam um preto bem fraquinho, ótimo para quem quer algo discreto. A máscara marrom e vinho ajudam a dar aquela sensação de ‘’cara limpa’ “, declara Pablo.

Fonte: CARAS

quinta-feira, 25 de junho de 2015

"Noivazillas" fazem os noivos passar por perrengues

Obrigar o homem a participar da escolha das flores da decoração é um deles

Obrigar o homem a participar da escolha das flores da decoração é um deles

É natural que as noivas queiram a participação dos futuros maridos na organização do casamento. Mas, algumas mulheres exageram e colocam os noivos em situações delicadas e, às vezes, constrangedoras, por pura obsessão pelo grande dia do casal. Nos Estados Unidos, aquelas que enlouquecem pela festa perfeita são chamadas de "bridezillas": uma mistura de noiva [bride, em inglês], com Godzilla [um monstro fictício]. Para evitar desentendimentos com o par antes mesmo do matrimônio, conheça comportamentos que podem causar mal-estar.

1. Requerer a presença dele nas feiras de casamento

De acordo com a assessora Larissa Garcia, da Pra Sonhar Assessoria de Eventos, de São Paulo, o parceiro não precisa acompanhar a mulher em todas as feiras do setor. "Homens são mais práticos nas contratações. Sem contar que, visitar muitas feiras pode deixar ambos confusos e indecisos", diz a especialista. Em uma ou outra, vale a pena convencê-lo a ir. Esses eventos são ótimas oportunidades para garimpar descontos. "Além das novidades apresentadas, há diversidade de fornecedores, com preços variados", conta a assessora Chris Godinho, da Duas Eventos, de São Paulo.

2. Insistir que o homem faça o dia do noivo

Entre as noivas é tradição preparar-se para o grande dia no salão de cabeleireiro, com direito a massagem, alimentação especial e champanhe. Por outro lado, a maioria dos noivos dispensa o glamour e prefere se arrumar em casa. No entanto, preocupadas com um possível "desleixo" do homem, algumas mulheres impõem aos parceiros que também contratem um pacote de beleza profissional. "Se o noivo nunca foi ao salão, não adianta forçá-lo. Com jeitinho, talvez a noiva o convença a arrumar as unhas e usar um corretivo para disfarçar imperfeições da pele", aconselha Larissa.

3. Usá-lo como homem de recados da sogra

Algumas noivas estabelecem regras para madrinhas e mães dos noivos. Por exemplo, as cores de vestidos que devem usar. Esse não é o problema. A saia-justa acontece quando a noiva exige que o parceiro comunique a própria mãe das decisões que ela tomou, o que pode causar um clima ruim entre mãe e filho e também com a futura nora. "O ideal é que a noiva converse pessoalmente com a mãe do seu par sobre todas as decisões", afirma a cerimonialista Julia Pazzini, proprietária da JP4 Eventos, de Belo Horizonte.

4. Não deixá-lo selecionar os próprios padrinhos

Bater o pé e dizer que no altar só pisa quem você quer é um comportamento egoísta e contraditório para quem está prestes a iniciar uma vida conjugal. A cerimônia e a festa de casamento devem ser especiais para os dois. "Essa deve ser uma escolha justa, feita em parceria. O ideal é que ambos possam escolher os próprios padrinhos", declara Julia.

5. Exigir que o homem envolva-se na escolha da decoração

A maioria dos noivos prefere deixar a decoração aos cuidados da parceira. "Cabe à noiva entender que a ausência do noivo na escolha de determinados detalhes não significa que ele não está envolvido. É apenas uma questão de personalidade", garante Julia. A orientação de Larissa é dividir as tarefas e pedir a ajuda dele para escolher itens que têm mais a ver com o universo masculino, como bebidas e as músicas que embalarão os convidados.

6. Fazê-lo ensaiar uma dança diferente

Dançar valsa é uma das tradições matrimoniais. Quem é mais ousado, no entanto, pode surpreender os convidados com danças coreografadas. Mas só se o casal estiver de acordo. Segundo Julia, fazer o noivo aprender uma coreografia que não tem a ver com o estilo dele pode deixá-lo pouco à vontade em frente aos presentes.  

7. Intimar o noivo a comparecer ao seu chá de lingerie

Geralmente organizado pelas madrinhas e amigas mais próximas da noiva, o chá de lingerie é um evento em que as convidadas levam peças íntimas e presentes para apimentar a relação do casal. A ocasião tem tudo para ser divertida e inesquecível, desde que estejam presentes as pessoas certas. "Fazer o noivo participar de uma reunião apenas com mulheres é desconfortável", diz Julia. Em vez disso, libere-o para sair com os amigos e aproveite para curtir as suas convidadas.

8. Forçá-lo a posar para fotos extravagantes

Fazer fotos de casal que, provavelmente, irão decorar alguns pontos da festa, compor o vídeo de retrospectiva ou apenas integrar um álbum de recordação é válido, mas o noivo tem que topar. Forçar a barra para ele ser modelo de um ensaio fotográfico e, pior, exigir que faça poses que pouco têm a ver com o estilo dele, não é uma boa ideia. "A noiva deve conhecer bem o parceiro e levar em consideração a sua personalidade, para não constrangê-lo, ainda que ela queira muito fazer algo", diz Julia.

Amanda Sandoval e Louise Vernier do UOL, em São Paulo

Fonte: UOL