quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Dez coisas que você precisa saber antes de comprar um secador de cabelos

Escolher o secador pode ser uma tarefa complicada, já que existem muitos modelos no mercado para finalidades e tipos de fios diferentes.

Dicas do que saber antes de comprar um secador:

A potência do secador

Quanto mais potente, mais energia é despendida e a secagem tende a ser mais rápida. "Os secadores de 1.800 W são indicados para fios lisos e finos, que secam com mais facilidade. Números acima desse são para uso em fios grossos e volumosos", alerta Lela Athanasio, terapeuta capilar do salão Crystal Hair, no Rio de Janeiro. Outro ponto é gasto de energia. Um secador mais potente também gasta mais.

Secadores bivolt, muitas vezes, não compensam o investimento

Na maior parte do Brasil, a tensão de rede é de 127 V. "Cerca de 40% do país usa tensão diferente, de 220 V. Então, para quem não pretende viajar para outras regiões e levar o secador, só é aconselhável comprar um aparelho bivolt quando a diferença de preço for pequena", aconselha o professor Cesar José Bonjuani Pagan, da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da Unicamp.

O peso faz diferença no resultado final

Um secador pesado sobrecarrega as articulações da mão e do braço. Em outras palavras: cansa. Isso pode afetar sua disposição para conseguir fazer aquela escova ficar perfeita. Portanto, a palavra de ordem é leveza.

A embalagem deve informar a quantidade de ruído emitido pelo aparelho em uso

Secadores estão entre os três eletrodomésticos mais barulhentos. Por isso, neste ano de 2014, as embalagens devem trazer o Selo Ruído, que classifica os decibéis emitidos pelo aparelho. O nível 1 equivale ao mais silencioso e, o 5, ao menos silencioso. Se o secador for anterior a essa regra, uma opção é usar um silenciador. O acessório diminui o barulho em ceca de 40%.

Íons não são todos iguais

Secadores que emitem íons são comuns no mercado hoje, mas existem os positivos e os negativos, e cada um tem sua função. Os primeiros abrem a cutícula dos fios e são ideais para cabeleireiros profissionais, pois ajudam os pigmentos da coloração e os ativos de hidratações a penetrarem melhor no fio. Já os íons negativos fecham a cutícula e são perfeitos para finalizações.

O jato de ar frio é seu melhor amigo contra o frizz

O ar quente abres as cutículas. Se deixadas assim, o penteado não dura e o frizz é quase certo. O jato de ar frio está lá justamente para fechar as escamas dos fios. Ele deixa o cabelo mais brilhante, sem frizz e maleável, cheio de movimento. Pode (e deve) ser usado no cabelo já seco, mas ainda quente.

Cerâmica ou turmalina?

Não é difícil encontrar secadores que trazem esses materiais. A cerâmica deixa o calor do secador mais intenso, dá a impressão de que o fio está mais hidratado e não o deixa arrepiado. É a pedida para quem quer uma escova impecável. Já a turmalina neutraliza a eletricidade dos fios, especialmente nos encaracolados.

Secadores de viagem podem substituir o secador profissional em alguns casos

São uma opção versátil para quem não faz questão de muitas opções de velocidade e temperatura. "Antigamente os secadores de viagem tinham também potência e resistência mais fracas. Mas, atualmente, já existem secadores profissionais em tamanho mini. Eles podem ser usados com tranquilidade no dia-a-dia, pois apresentam potência similar aos secadores grandes", garante o cabeleireiro Wagner Lisboa.

Verifique se a tomada está adaptada ao novo padrão brasileiro de 3 pinos

Ela é uma das mais seguras do mundo, pois não permite que as partes eletrificadas fiquem expostas. Porém, a casa também precisa estar adaptada a esse novo padrão. Pode ser uma boa oportunidade de atualizar o sistema elétrico da residência (e deixá-la mais segura).

Os acessórios que acompanham o produto maximizam seu uso

A maioria dos secadores vem com um difusor e dois bocais direcionadores de ar, um maior e outro menor. O difusor é muito útil para quem tem cabelo ondulado ou enrolado. Ele garante mais naturalidade aos cachos e menos agressão aos fios. Já o direcionador largo ajuda a modelar os cabelos na hora da escova. O direcionador mais estreito, por sua vez, é feito para modelar franjas e topetes.

Fonte: UOL

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Cortei o cabelo e me arrependi; veja soluções para disfarçar problemas nos fios

Se arrependeu do corte?

É possível disfarçar o problema com alguns truques simples.

nao-gostei-do-corte-de-cabelo-1.jpg

Cortar o cabelo e se arrepender é um problema que muitas mulheres já enfrentaram ao longo da vida. Em seguida, surge a dúvida do que fazer para amenizar o erro até que os fios cresçam novamente. A boa notícia é que com algumas soluções simples você pode disfarçar um corte que não gostou sem perder o estilo. Veja como fazer.

nao-gostei-do-corte-de-cabelo-2.jpg

A franja ficou muito curta

Se a franja ficou curta demais, invista em acessórios como lenços, turbantes e tiaras, com os quais você pode jogá-la para trás e mesclar com o resto do cabelo. Quando a franja crescer um pouco (o que deve acontecer em poucas semanas) seque sempre com um secador e modele com uma escova. Depois de quatro ou cinco semanas, os fios devem estar consideravelmente maiores, aí você pode desfiar levemente as pontas para dar um caimento.

nao-gostei-do-corte-de-cabelo-4.jpg

A franja repicada não para no lugar

Repicou a franja na altura do nariz e se arrependeu? A solução pode estar em um penteado super moderno: o topete. Jogue os fios para trás, desfie e prenda com um grampo no alto da cabeça. Se o problema é o cabelo caindo nos olhos frequentemente, a dica é cortar mais um pouco a franja, na altura da sobrancelha, sem repicar as pontas. A franja reta, conforme cresce, é mais fácil de ajeitar e prender até que os fios fiquem do tamanho que você quer.

nao-gostei-do-corte-de-cabelo-3.jpg

Repiquei o cabelo e ficou armado

Se o cabelo ainda ficou comprido, uma boa solução pode ser cortar mais um pouco para acertar o caimento e, assim, disfarçar o volume. Se você não quer diminuir ainda mais o comprimento dos fios, uma dica é apostar nos penteados meio preso – deixe a camada mais volumosa presa e alguns fios soltos nas laterais.

Itodas

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Conheça as Paletas Vult Villains Disney (3 Opções)

A Vult se inspirou em três personagens da Disney para mostrar que você pode desfilar por aí cheia de más intenções. São oito cores de cada personagem e muitas formas de criar looks de arrasar. Ganhe poderes que nunca imaginou e faça príncipes se encantarem por você.

Você encontra esses e outros produtos nas lojas Cotirô Cosméticos!

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Esmalte vermelho nas novelas

Um dos papéis mais marcantes de Regina Duarte foi na pele da excêntrica Viúva Porcina, em "Roque Santeiro" (1985). A make carregada e as roupas e acessórios extravagantes combinavam com o clássico esmalte vermelho nas unhas.

Em 2003, Regina assumiu o posto da vilã mafiosa Maria Félix na novela "Kubanacan", caprichando nos maxi acessórios e sempre com as unhas em dia.

Mariana Ximenes viveu Juliana em "Guerra dos Sexos" (2013) e o esmalte usado pela personagem, o vermelho intitulado "Malícia", da Risqué, foi um dos mais procurados pelas espectadoras.

O esmalte vermelho de Irene Ravache, que viveu Charlô em "Guerra dos Sexos", foi outro a fazer sucesso com o público. Mas a cor não é nova. Trata-se do clássico "Deixa Beijar", da Colorama.

Christiane Torloni como Diná, em "A Viagem" (1994), sempre aparecia com esmalte vermelho nas unhas durante a primeira fase da novela.

Em "Um Anjo Caiu do Céu" (2001), Christiane Torloni, no papel de Laila, também aparecia com as unhas vermelhas e sensuais.

Em um de seus looks mais divertidos em novelas, Susana Vieira fez uma participação especial em "Top Model" (1989) como Bárbara Ellen. As unhas da personagem, além de vermelhas, eram enormes.

Anos depois, desta vez mais sóbria, Susana Vieira também apareceu com o esmalte vermelho nas unhas, no papel de Pilar em "Amor à Vida" (2013).

Na série "Brava Gente" (2000), no episódio que se passa na década de 70 "Embaixada do Glicério", Marília Pêra aparece com as unhas vermelhas no papel da personagem que mora no decadente Hotel Residencial Embaixada.

Marília Pêra interpretava uma perua em "Garotas de Programa" (2000), que satirizava o universo feminino e suas relações com os homens. As grandes unhas vermelhas e o casaco de pele estavam lá, claro.

Quando o assunto é "Beleza Pura" (2008), como esquecer Norma (Carolina Ferraz) gritando "eu sou rica!"? Não dá pra negar que unhas sempre em dia a personagem, de fato.

A inesquecível Nazaré Tedesco, de "Senhora do Destino" (2004), foi um dos papéis mais importante da carreira de Renata Sorrah. Além de "gostosa", como ela própria se intitulava, a personagem estava sempre com o vermelhão nas unhas.

Como Jezebel do Canto e Melo, a atriz Elizabeth Savala às vezes até combinava as unhas com os looks da década de 20 em "Chocolate com Pimenta" (2003).

Em "A Grande Família" (2001-2014), Dona Nenê (Marieta Severo) estava sempre na cozinha, mas nem por isso deixava de cuidar de suas unhas.

Ângela Vieira, no papel de Lindaura na novela das 18h "Flor do Caribe", apostava no vermelhão do esmalte "Desejo", da Gio Antonelli.

Como Inês em "Boogie Oogie", Deborah Secco tem feito sucesso usando "Rubi", da Risqué.

Como sem manicure não existe unha bem feita, de tempos em tempos acaba aparecendo alguma personagem que represente essas profissionais nas novelas da Globo. Darlene, vivida por Deborah Secco, fez história com seu estilo periguete em "Celebridade" (2003).

Outra manicure inesquecível foi a esquentada e apaixonada Babalu de "Quatro por Quatro" (1994), vivida por Letícia Spiller.

Em "A Viagem" (1994), Andréa Beltrão viveu a manicure e cabelereira Lisa.

A manicure Naná tem sido um sucesso tão grande em "Império" que deu até o prêmio de atriz revelação à Viviane Araújo durante a 16ª edição do Prêmio Extra de TV. Na novela, sua personagem contracena com Xana Summer, vivida por Aílton Graça.

Fonte: UOL

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Penteados vintage nunca saem de moda. Aprenda.

 

A beleza vintage virou hit com os clássicos dos anos 40, 50 e 60 revisitados. Da textura matte do batom aos penteados com volume e cachos, basta um toque descontraído para que o visual fique moderno e caia no gosto de famosas, como Dita Von Teese e Taylor Swift.

Penteados vintage pedem volume e acessórios. Para criá-los, você vai precisar de spray volumizador e fixador, pente fino com cabo, escova para penteados, secador, modelador de cachos, grampos, elásticos e lenço.

A preparação dos fios fará diferença na hora de conquistar cada look. Para isso, escove-os para deixá-los mais polidos e prontos para receber os produtos.

O volume característico das décadas de 50 e 60 pode ser conquistado com a ajuda do volumizador em spray. Aplique o produto ao longo das mechas.

Seque os fios com secador, porém sem usar pente ou escova.

Para criar os cachos, divida o cabelo em mechas, aplique spray fixador e use o modelador de cachos na posição horizontal.

Solte os cachos passando a escova ao longo dos fios.

Crie volume no topo da cabeça separando uma mecha e desfiando-a com pente fino. O movimento do pente deve ser do alto para baixo, em direção ao couro cabeludo. Finalize o penteado com uma risca lateral utilizando a mecha da franja.

O topo alto com fios soltos é um clássico, que ganha ares modernos graças ao volume controlado.

Para o segundo penteado, Evandro combina topete e fios semipresos. Reserve a mecha da franja e, em seguida, separe mechas laterais para prendê-las na parte de trás da cabeça com o auxílio de grampos.

O topete vintage é feito com o auxílio dos dedos, que vão enrolar a mecha da franja. Ao final, prenda-o próximo da testa.

O ar descontruído no topete longo atualiza o visual.

Para criar a terceira opção de penteado, jogue todo o cabelo para frente e prenda um rabo de cavalo alto.

Separe o rabo de cavalo em três mechas e as enrole com o auxílio dos dedos. Ao final, use grampos para prender cada rolinho próximo da testa.

Finalize o penteado com o uso de um lenço. Posicione o acessório perto da nuca e leve as pontas para o alto da cabeça para prendê-las com um nó.

Sofisticado, o penteado tem um ar produzido com o lenço, porém continua leve e atual graças aos fios soltos na lateral.

Fonte: UOL

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Cabelos tingidos: como manter a cor no verão

Veja dicas de experts para não deixar os fios desbotarem

cabelos-tingidos-manter-cor-verao-1.jpg

Quem tem cabelos tingidos sabe que não é simples manter a coloração em dia. Durante o verão, com constantes idas à praia e à piscina, fica ainda mais difícil fazer com que estejam bonitos e bem cuidados. Veja algumas nas fotos a seguir dicas que podem ajudar.

cabelos-tingidos-manter-cor-verao-2.jpg

Shampoo para cabelo tingido

Para manutenção da cor dos cabelos use somente produtos específicos, desde o shampoo e o condicionador, até o creme de tratamento e leave-in. "Eles ajudam a fixar a cor no fio e, ao mesmo tempo, combatem a aspereza e o ressecamento provocados pela química", explica a cabeleireira Ana Paula Nesi, do Studio de Beleza Sonia Nesi.

cabelos-tingidos-manter-cor-verao-4.jpg

Detox Capilar

Ela aconselha também evitar o uso de shampoo antirresíduos e de tratamentos como o Detox Capilar, que faz com que a coloração seja retirada mais rapidamente. Já a catuerização é recomendada para repor as proteínas e aminoácidos.

cabelos-tingidos-manter-cor-verao-5.jpg

Hidratação caseira para cabelo tingido

A hidratação também é essencial, pois os cabelos coloridos costumam ficar ressecados. Para fazer uma hidratação caseira, a cabeleireira Sandra Santanna, do Nilcéia Rocha Coiffeur, indica usar ampolas e cremes específicos semanalmente. "O cabelo saudável e sempre bem hidratado ajuda a manter a cor por muito mais tempo", garante.

cabelos-tingidos-manter-cor-verao-3.jpg

Pontas ressecadas

Substituir o condicionador por máscara capilar e usar um bom leave-in ajuda a manter as pontas sempre hidratadas. Se os fios estiverem desbotando, a dica é usar um tonalizante para reativar a cor, que é menos agressivo que a coloração.

Fonte: Itodas

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Tipos de chapinha para cada cabelo: descubra qual é o seu

Saiba qual é o modelo mais adequado para o seus fios.

Tipo certo de chapinha melhora o resultado (Foto/Thinstock)

As chapinhas são alguns dos recursos mais queridos pelas mulheres para deixar os cabelos mais bonitos. Entretanto, seja para alisar ou apenas para modelar os fios, é importante escolher o modelo mais adequado para cada tipo de cabelo. Assim, além te der um resultado mais satisfatório, você não corre o risco de danificar o cabelo.

Melhor chapinha para cada cabelo

Cabelo comprido e com volume

tipo-e-chapinha-para-cada-cabelo-2.jpg

Para quem tem os cabelos compridos e volumosos – sejam lisos, ondulados, cacheados ou crespos -, as pranchas largas são mais indicadas porque ajudam a alisar mechas mais grossas, o que facilita o trabalho para quem tem muito cabelo. Vale lembrar que para alisar a franja, é preferível utilizar chapinhas mais fininhas e que, para melhorar o resultado, o ideal é fazer uma escova antes de pranchar.

Cabelo curto

tipo-e-chapinha-para-cada-cabelo-1.jpg

Para quem está com os fios curtos, os modelos de prancha estreitos são os que funcionam melhor. Com eles, é possível também modelar os cachos e as pontas do cabelo para deixar o formato mais definido. Como será necessário pegar mechas menores de cada vez, em função do tamanho do aparelho, tenha cuidado para não segurá-lo tempo demais em cada mecha, isso pode queimar o cabelo.

Cabelo fino

tipo-e-chapinha-para-cada-cabelo-4.jpg

Para quem tem os fios muito finos, as pranchas de espessura média são as melhores. O mais importante é que você escolha um modelo com temperatura ajustável, para poder utilizá-la, no máximo, a 180 ºC – mais do que isso pode afinar ainda mais os fios.

tipo-e-chapinha-para-cada-cabelo-3.jpg

Tipos de chapinha

Na hora de escolher o produto, vale atentar-se também ao tipo de tecnologia utilizado. Veja quais são os mais comuns e como eles funcionam:

Tecnologia titanium: cauteriza os fios com a emissão de íons negativos. Ajuda a selar as cutículas e eliminar a eletricidade do cabelo.

Tecnologia safira: boa para quem não tem prática com o aparelho, as chapinhas com essa tecnologia são ultra lisas e deslizam melhor nos fios, diminuindo o atrito.

Tecnologia infravermelha: por meio da ativação de moléculas de água dos fios, ajuda a deixá-los mais leves e com movimento.

Cerâmica: economiza muita energia e mantém a temperatura constante, além de ser mais resistente e também deslizar facilmente pelos fios.

Fonte: UOL