quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Tratamentos 3 em 1 prometem combater celulite, gordura localizada e flacidez de uma só vez

Tecnologia de aparelhos como o Freeze (foto) são aliados no combate à celulite, gordura localizada e flacidez

Tecnologia de aparelhos como o Freeze (foto) são aliados no combate à celulite, gordura localizada e flacidez

É difícil escapar de um desses três problemas. Pior ainda quando surgem em dupla, ou mesmo em trio. O que não é raro acontecer, visto que suas causas são praticamente as mesmas, com, em primeiro lugar, a questão hereditária e, em segundo, as hormonais. “Sedentarismo e dieta mal equilibrada também influenciam negativamente para o aparecimento de celulite, gordura e flacidez”, explica Ana Lúcia Recio (SP), membro das Academias Brasileira de Cirurgia Dermatológica e Americana de Dermatologia. “Há que se considerar, ainda, fatores externos como uso de roupas apertadas e hábito de ficar muito tempo sentada, em geral por causa da profissão”, completa Mônica Aribi (SP), da Sociedade Brasileira de Dermatologia, mestre pelo Instituto de Assistência Médica do Servidor Público Estadual (Iamspe). Já Mônica Linhares, dermatologista clínica e estética do Espaço Saúde Rio, no Rio de Janeiro, diz que deficiência vascular –insuficiência venosa– e fumo igualmente induzem ao quadro.

As mulheres sofrem mais por várias razões, especialmente pelas disfunções oriundas de ciclos menstruais, gestação, menopausa e uso de anticoncepcionais. “Pelas condições hormonais, há mais tendência à formação de tecido gorduroso, e menos de tecido muscular em comparação com os homens. Isso favorece o surgimento de adiposidades em áreas como culote e bumbum”, observa Ana Carina Junqueira Bertin, dermatologista da Clínica Adriana Vilarinho e do Centro de Cirurgia da Obesidade e Metabólica, em São Paulo.

No universo feminino, a maior propensão recai sobre as que apresentam quadris volumosos e corpo em formato de pêra: o acúmulo de gordura no local comprime os vasos sanguíneos, que levam à celulite, e a falta de exercício provoca a flacidez. Um círculo vicioso mesmo. “Quem está acima do peso, ingere pouco líquido, não malha regularmente, dorme pouco e vive sob estresse igualmente apresenta maior tendência à tríade”, complementa Taíssa Veronese, fisioterapeuta da Clínica Alan Landecker, em São Paulo. Felizmente dá para combater esses três fantasmas com algumas máquinas superpotentes, veja na tabela a seguir:

Nome do aparelho: Velashape

Qual a promessa: Melhora celulite, gordura localizada e celulite em torno de 50% a 70%.

Como funciona: São quatro mecanismos: massagem mecânica feita com o cabeçote da máquina, incluindo sucção e rolamentos, para destruir os nódulos de gordura; vacuoterapia, capaz de melhorar a circulação sanguínea e incrementar o metabolismo celular; radiofrequência, que esquenta a área estimulando a formação de colágeno, atacando flacidez e diminuindo as células de gordura; e infravermelho, que também aumenta a temperatura local de forma a potencializar todos os efeitos.

Quantas sessões são necessárias: Entre dez e 12, feitas uma ou duas vezes por semana.

O que a paciente sente: A terapia a vácuo pode dar a sensação de beliscar a pele, principalmente na parte interna das coxas. A radiofrequência e o infravermelho esquentam a superfície, o que incomoda um pouco.

O que fazer em casa para potencializar os resultados: Não usar roupas apertadas, beber dois litros de água por dia, seguir uma dieta equilibrada com pouco sal e fazer exercícios físicos com regularidade, de preferência mesclando musculação e atividades aeróbias.

Nome do aparelho: Freeze

Qual a promessa: Melhora a textura da pele por meio da remodelação e tonificação do corpo. Minimiza a flacidez e a gordura localizada e reduz a inflamação da celulite

Como funciona: Combina pulsos magnéticos com radiofrequência multipolar, estimulando intensamente a área a ser tratada. Incrementa a circulação sanguínea e promove a proliferação de fibroblastos, aumentando a produção de colágeno e elastina, fundamentais para a sustentação dos tecidos. “A radiofrequência, base do tratamento, aquece a pele até a derme, atingindo a camada de gordura e diminuindo as células adiposas”, explica Luciana Hitomi (RJ), médica pós-graduada em Medicina Estética pela Sociedade Brasileira de Medicina.

Quantas sessões são necessárias: De oito a 12, uma vez por semana.

O que a paciente sente: O desconforto é mínimo, pois o tratamento não é doloroso.

O que fazer em casa para potencializar os resultados: Priorizar uma alimentação leve, dedicar-se a exercícios físicos no mínimo três vezes por semana e beber bastante água.

Nome do aparelho: Ultra Accent XL

Qual a promessa: Já nas primeiras sessões, é possível perceber diminuição da gordura e valorização das formas. No caso de flacidez e celulite, os resultados começam a surgir a partir da terceira aplicação.

Como funciona: Trabalha com duas tecnologias, a radiofrequência e o novo ultrassom Shear Waves. A primeira tem a finalidade de promover o aquecimento em profundidade para estimular a produção de colágeno, tratando flacidez e celulite. “Já o ultrassom provoca a lipólise, quer dizer, a quebra das células de gordura de forma seletiva e não invasiva, combatendo gordura localizada e aprimorando o contorno corporal”, atesta Fernanda Scovino, fisioterapeuta dermatofuncional da Clínica Espaço Solaris, no Rio de Janeiro.

Quantas sessões são necessárias: De cinco a oito, a cada 15 dias.

O que a paciente sente: O procedimento é indolor, há apenas um aquecimento na região a ser tratada. Forma-se uma vermelhidão suave, que desaparece logo após o término da intervenção.

O que fazer em casa para potencializar os resultados: Priorizar uma alimentação leve e fazer exercícios físicos regulares.

Nome do aparelho: Thermage

Qual a promessa: No caso da flacidez, melhora até 87% do problema, o que acontece de um a três meses depois de iniciado o tratamento. A gordura localizada e a celulite têm benefícios mais discretos, de acordo com os hábitos da pessoa.

Como funciona: Por meio de uma ponteira, ondas de radiofrequência são emitidas e aquecem as camadas mais profundas da pele, modificando o tecido onde se encontram as fibras responsáveis pela sustentação. O aquecimento e resfriamento desencadeiam a contração do colágeno, diminuindo a flacidez. “Com o tempo, um novo colágeno é produzido, deixando a pele firme e com uma aparência mais jovem”, destaca Marcela Studart (RJ), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Quantas sessões são necessárias: Uma única sessão, uma vez por ano.

O que a paciente sente: O procedimento é indolor. Logo após o atendimento, a superfície apresenta uma leve vemelhidão, que regride em poucos minutos.

O que fazer em casa para potencializar os resultados: Priorizar uma alimentação leve e fazer exercícios físicos pelo menos três vezes por semana. Hidratar bem a pele e protegê-la da radiação solar.

Fonte: UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário